sexta-feira, 24 de março de 2017

4 Anos Blogue, Compulsões, Pai, Oomoplata, Sonhos Sem Sentido

Já lá vão 4 anos de blogue, não pensei que o mantivesse tanto tempo. É uma boa forma de desabafar em qualquer sitio quando estou deprimido. Já é raro escrever nos meus cadernos, como fazia antigamente. Permanecem trancados nos meus 2 cofres, que comprei propositadamente para esse efeito. A minha família pensa que os tenho  por causa do dinheiro que guardo. Já pensei os queimar, estão lá muitos segredos que não quero que sejam expostos, se bem que a minha letra é tão má que não iam perceber mais de metade. Gosto de manter a minha privacidade, como solitário que sou, no entanto nos meus dossiers tenho impresso muitos documentos importantes, tenho medo que alguém vá lá cuscar, principalmente os meus tios quando lá passam férias. Pensei comprar um armário com chave, mas parece-me uma despesa sem sentido e faria com que suspeitassem que ando a esconder algo.
No outro dia quis fazer uma limpeza em casa, mas não consegui livrar de coisas que não me fazem falta, até no disco rígido do meu pc tenho dificuldade em eliminar arquivos que sei que nunca vou usar. Tenho que me livrar desta compulsão! Já me libertei de uma: Antes de dormir tinha a necessidade de repetir uma expressão (tão ridícula que era que nem tenho coragem de escrever), senão o fizesse não dormia bem de noite e ficava a remoer-me a mente.
No dia do pai fui almoçar com o meu , preferia ter ficado em casa, mas como ele anda muito em baixo lá fiz o esforço e convidei-o para ir almoçar num restaurante. Nem o reconheço, normalmente é uma pessoa com discurso optimista, sempre a rir-se, agora é pessimista, até a foto que tirámos demonstra tristeza na sua cara. Ofereceram-lhe um cheque cirurgia para ser operado noutro hospital, visto já ter passado o tempo de espera. No mesmo dia em que recebeu a carta veio ter comigo à espera que lhe dissesse qual a opção certa a tomar, queria que decidisse por ele (é mesmo parecido comigo). Não queria ser eu o responsável, tive receio que não conseguisse corresponder... ir para um sitio mais longe, desconhecido assustou-me, a minha falta de confiança venceu novamente, sou um péssimo filho. Combinámos na semana a seguir ir ao hospital saber mais pormenores, ou tentar falar com o médico para ver se o operava mais cedo, mas não aguentou a espera, no dia a seguir foi lá sozinho e cancelou...
As minhas dores no omoplata estão a aumentar, tenho medo que por causa da minha burrice não tenha feito bem o tratamento e assim não recuperei :(. Segui as instruções à letra, mas a farmacêutica diz uma coisa o médico diz outra, cada vez percebo menos. Não consigo carregar pesos, está a afectar-me bastante em todas as tarefas, até aqui no pc a escrever, só estou bem com o braço completamente para baixo. Se tiver que ser operado não tenho ninguém que me acompanhe, é um dos efeitos secundários de não ter amigos. O facto é que questões físicas afectam bastante o psicológico.
O sentimento de culpa permanente não me larga, por não fazer uma tarefa bem feita no trabalho, penso logo que me vão mandar embora. No outro dia passei mais um atestado da minha burrice, nem uma simples coisa consegui fazer, tive que pedir ajuda a um colega, fiquei tão embaraçado e a pensar nessa situação durante vário tempo.
Ando a ter muito sonhos sem sentido nenhum. Sonhei com uma ex colega que já não falo desde os tempos do secundário, mas que ultimamente tenho-a visto duas ou três vezes quando passo de carro. Só por esse simples facto foi relevante para que entrasse nos meus pensamentos e se tornasse personagem principal de um sonho. Realizou a festa de aniversário em minha casa, tal como na vida real fiquei com medo de ir esse convívio. A festa realizava-se no 1º andar, eu estava no 2º andar apavorado... acabei por descer. Na festa estavam personagens que não tinham relações entre elas, desde as colegas da minha primita que só as vi umas 2 vezes, uma mulher que trabalha numa instituição pública (wtf, como é que o meu cérebro foi buscar essa personagem?),  tios, o cão dos meus primos enjaulado no galinheiro com a minha avó, etc. No entanto o objectivo era encontrar a personagem principal, depois da procurar não a vi em lado nenhum. Até que apareceu no quintal com altos óculos de sol, tal como a vi na vida real.  O que mais me intriga é que ultimamente tenho tido alguns sonhos em que os recordo com facilidade, normalmente esqueço-me deles rapidamente.  Outro sonho habitual é participar em jogos ou filmes que vejo. Não sei se chore ou se ria.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Acidente Carro, Criticas Patrão, Dores,Passatempos


Tive um acidente de automóvel, agora tem sido um pesadelo conduzir, ao entrar nos cruzamentos/rotundas parece que estou sempre à espera de um embate. Muito receio de conduzir, principalmente para sítios que desconheço, quando chove ainda pior, parece que a qualquer altura posso perder o controlo do carro. Que sensação horrível, no outro dia com granizo fui a 20km/h à hora... só me faltava mais esta!
O meu patrão quando começa a falar nunca mais termina, totalmente o oposto de mim, as criticas no trabalho são pesadas "os dois não fazem trabalho de 1". Tem razão, sou mesmo incompetente em tudo, não sei nada, devia ser mais proactivo em tudo, em vez do habitual deixar andar e esperar que os outros resolvam os problemas. Mas sou assim, medo de arriscar, de criar conflitos, de piorar o que tenho, não consigo mudar.
Vou falhar a um compromisso importante, marquei exames para essa data para não ter que ir, cada vez que vou a essas reuniões é um risco de ser descoberto, até agora tem corrido bem (... nunca mais passa o tempo....). O problema é que não consegui marcar exactamente para o mesmo horário, vou tentar uma justificação, vamos lá ver se aceitam, senão estou tramado.
O tratamento que o médico me indicou para fazer, não serviu de nada, encharquei-me de comprimidos e continuo com dores. Estou a pensar experimentar marcar uma sessão de acupunctura, procurar algo que me alivie. A minha mãe está cada vez pior, só consegue estar deitada, a medição não lhe faz efeito, faz-me sofrer vê-la sofrer.
No outro dia vi um filme que me deixou mesmo em baixo, uma história parcialmente parecida com a minha, um rapaz que não se conseguia relacionar com ninguém. Ando a evitar ver esse género de filmes bem como os românticos que me fazem triste, só procuro acção e terror.  As minhas distracções agora passam por jogar Resident Evil 7, depois vou assistir vídeos de youtubers a jogar o mesmo, isto diz muito do meu sem vidismo. Mas é um dos passatempos que mais me faz deixar de pensar nos meus problemas. Acompanho a série Vikings, sempre gostei desse tipo medieval, faz-me flutuar nos pensamentos e futebol, principalmente jogos da champions, só não sou mais viciado para meu azar (ou sorte) porque o clube que apoio não ganha nada.
Existem artigos que devia comprar, mas tenho dificuldade em gastar dinheiro neles, não consigo arranjar explicação! Por ser agarrado e não me importar de andar com peças antigas? Medo de não saber bem o que adquirir, e comprar uma pior opção que já possuo? Dois exemplos: Parece que emagreci nas ancas, pois o meu fato de treino que comprei há uns 15 anos neste momento cai-me quando faço exercício. O meu auto radio, já é tão antigo que nem sequer lê mp3, agora está descontrolado, quando mudo de faixa de cd muda para estações de rádio, mas dá bom audio. Sei que cd é uma tecnologia obsoleta, mas gosto de  seleccionar as músicas que gosto do momento e gravá-las no formato de 80 minutos.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Consulta Médico

Lá fui ao médico de família. Mais uma vez a ansiedade e nervosismo apoderaram-se de mim, principalmente na sala de espera antes da consulta, já não tenho idade para me sentir assim em situações que deviam ser normais! O medo de não conseguir transmitir as minhas queixas, por causa da minha falta de capacidade de comunicação deixou-me em pânico. O doutor ainda jovem, talvez mais novo que eu, pareceu-me simpático, senti-me à vontade com ele.  Fiz as queixas dos meus problemas de saúde que me incomodavam, mas não consegui falar do principal... os meus problemas psicológicos. Podia-lhe contar a minha história, talvez me ajudasse, mas tive vergonha de lhe contar que sou tímido. Marcou-me alguns exames e análises, daqui a dois meses tenho nova consulta, gostava de ter coragem para me abrir. Mostrei-lhe o espermograma, ele ficou admirado de o ter feito o exame por minha recreação, não consegui explicar o motivo de o ter feito para confirmar a minha fertilidade. Depois de anos a não ligar nada à minha saúde, agora ando a ficar hipocondríaco, qualquer coisa fora do normal fico logo preocupado a pensar que é um sintoma de uma doença grave. A minha vida de sedentarismo está cada vez mais a aumentar, estas pequenas impressões de dor que tenho no estômago, joelho, pé ou no anus são desculpa para não fazer actividade física.
Talvez deva procurar uma consulta de terapia de fala, tenho alguns sintomas, parece-me tão dificil ter coragem:
«O adulto…
… não se lembra do nome de objetos e/ou de pessoas?
… tem dificuldade em falar e em construir frases correctas?
… sente-se frustrado ou embaraçado com o seu discurso?
… no seu discurso substitui sons ou palavras?
… apresenta um discurso desorganizado ou sem conteúdo?
… tem dificuldade em fazer-se compreender, total ou parcialmente, ou em compreender o que lhe é dito? ... tem dificuldade em falar e em construir frases correctas, sente-se frustrado ou embaraçado com o seu discurso, no seu discurso substitui sons ou palavras»
Uma receita inesperada surgiu entretanto na família. É uma boa noticia, mas tenho algum sentimento de injustiça na divisão de dinheiro. Afinal fui quem trabalhou mais no processo, enquanto outros recebem mais sem terem mexido uma palha. Não quero gerar conflitos com familiares por causa disto.
Vem aí o Carnaval, como me sinto mal nestas alturas do ano. :(


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Grande Embrulhada, Saúde Pai Mãe, Primos

Meti-me numa grande embrulhada, não me apetece contar pormenores, infelizmente tive o azar(mas dos grandes) de lidar com gente sem escrúpulos. Pensam que lhes devo dinheiro e vêm atrás de mim com ameaças. Estou tranquilo, a razão está no meu lado, mas porque tenho tanto medo e não consigo de deixar de pensar no assunto?  Se soubesse falar como uma pessoa normal, podia ultrapassar o problema, com esta timidez não dá. Agora não vou dormir descansado, basta ouvir um motor de um carro parado à minha porta que desconfio logo que sejam eles, trabalho num sitio isolado vou ter sempre medo. A despesa vai ser grande, podia comprar tanta coisa, um desktop novo(o meu é de 2005), um topo de gama da iphone, ando a poupar em tanta coisa para depois gastar devido a uma distracção ridícula!
A minha mãe diz "já não tenho esperança", é muito triste ouvir isto, apetece-me chorar, infelizmente penso o mesmo, não estou preparado para a perder, pode ter muitos defeitos, mas é minha mãe. Custa-me tanto ver o sofrimento dela, as dores que ela sente em todo o corpo, agora anda-lhe a doer o anûs e as costas, sinto-me impotente, não sei o que fazer para a ajudar, nem os comprimidos para as dores aliviam.
O meu pai está com severa depressão, depois de vários anos a combatê-la com sucesso. A saúde começar a faltar, o que o leva a ficar muito tempo em casa e ter pensamentos que não deve, ele ao contrário de mim não sabe se entreter em casa, não vê filmes/séries, na televisão só vê noticias, não sabe o que é um computador, assim é difícil passar o tempo. Fui com ele a uma clínica para fazer um exame aos intestinos, como foi com anestesia precisou de levar um acompanhante. Quanto mais convivo com ele, mais vejo no trapalhão que é, tenho mesmo a quem sair. Neste momento se precisasse de fazer esse exame já não tinha ninguém a quem recorrer, os meus familiares mais chegados não tem saúde, quem iria comigo? Esta solidão vai ter consequências mais cedo do que o tinha previsto.
Lá marquei uma consulta para o meu médico de família, tenho tanta coisa que me queixar que nem sei por onde começar. Tenho que pedir análises gerais, coisa que nunca fiz na vida, mostrar-lhe o espermograma e falar-lhe da próstata, estas dores de costas/omoplata/anca, etc. Estou a viciar-me em demasia nas séries e nos videojogos, vi os novos lançamentos e estou ansioso por jogar. É uma maneira que tenho para me ajudar a deixar de pensar nos problemas, mas sei que devia fazer algo de útil. As noites têm sido terríveis, as paranoias estão-me a deixar mais doente. Sinto-me injustiçado com algumas situações que me acontecem, para aliviar imagino que estou a ralhar ou a bater neles.
Primos de longe foram-nos fazer uma visita a convidar para ir ao casamento e baptizado, não estava à espera e não consegui descer ao piso de baixo para falar com eles, um medo irracional inexplicável apoderou-se de mim. A minha mãe teve que me chamar para ir cumprimentá-los, é importante ter família a dar nos apoio porque os quero afastar? Já não os via a alguns anos, devo causar mesmo má impressão, eles devem pensar "estou sempre na mesma".

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ex Melhor Amigo; Ansiedade

Soube que o meu melhor amigo dos 10 aos 15 anos acabou de ter o seu  terceiro filho. Mesma idade que eu e já fez tanto na vida, saiu da terrinha para longe, tirou um bom curso superior, tem um bom emprego, bom carro, gosta de desporto, principalmente correr, até participa em ultra maratonas, a mim cansa-me só de correr 1 minuto! Ele não era mais inteligente que eu, tirava piores notas, no entanto a sua personalidade e a maneira como pensa fez com que tivesse um futuro feliz. Quem o conhece agora está longe de imaginar que ele na escola era gozado e era o pior aluno em educação física. Sei de muita coisa dele porque tem um blog, às vezes vou lê-lo, apetece-me mandar-lhe uma mensagem a perguntar se se lembra de mim... claro que não tenho coragem. Passei dias com ele em actividades como jogar futebol, computador, andar de bicicleta,  etc, foi por causa da influência dele que tomei decisões como escolher a escola onde estudar a partir do 10º ano. Posteriormente não gostei das atitudes dele, revelou logo ao pessoal a minha situação da timidez (naquela fase era o meu primeiro grande teste num ambiente diferente), gozou-me, revelou assuntos que não queria que fossem expostos. Ele cresceu, evoluiu, eu fiquei na mesma, enquanto começou a interessar-se em andar atrás das gajas eu ia para o salão de jogos, não o posso culpar do declínio da nossa relação. Depois dos 17 anos acho só o vi duas vezes, uma vez veio me convidar para um jantar com ex colegas, é claro que inventei uma desculpa e disse que não podia, Pergunto-me: Podia comprar um carro melhor? Podia, mas tenho receio que o dinheiro me faça falta para outras coisas.
Estou sem energia, cansado, parece que vou desfalecer a qualquer momento, de manhã o medo apodera-se de mim, não quero sair de casa. Para além de psicologicamente sinto-me tão mal fisicamente, sou tão fraco que no outro dia até o saco de ração de cães me custou a transportar. Uma dor no omoplata esquerdo tem me deixado arreliado, será uma lesão antiga mal curada? Uma vez aleijei-me em educação física, não disse nada a ninguém, não conseguia subir o braço durante vário tempo, mas lá passou. Arrependo-me tanto de não me ter queixado na altura. Cuspo e as minhas narinas estão cheias de sangue, penso logo que será um problema grave, não tenho vontade nenhuma de ir ao médico, já estou farto de lá ir acompanhar familiares.
Ansiedade está a níveis máximos, não adormeço logo, não consigo dormir mais que duas horas seguidas,   acordo com uma vontade imensa de urinar, durante a noite vou várias vezes às casa-de-banho, estou sempre a olhar para o relógio, os sonhos que tenho são ridículos, mudo muitas vezes de posição, mas estou sempre desconfortável.
No outro dia tive uma discussão com a minha mãe porque queria meter uma foto minha no facebook, ela é como uma criança se não lhe fizerem as vontades fica amuada e eu não consigo dizer que não, mas desta vez não levou a dela adiante. Ela não faz a mínima ideia do motivo de não querer fotos expostas na net, fico triste por não perceber o que se passa comigo.
Pede-me para fazer um esforço, quero, mas não consigo, o trabalho não flui, não sei pk, quando está quase tudo aparece sempre mais alguma coisa que me faz perder tempo e não ter os processos em ordem.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Doença Mãe, Pai, Inverno

Mais um dia triste... soube hoje que a doença da minha mãe está a piorar, os tratamentos que anda a fazer não estão a resultar, o doutor não sabe qual a próxima decisão a tomar, disse que ia ter uma reunião com os outros médicos e expor o caso, desanimou-me completamente :( Já tem cancro a algum tempo, talvez por medo, ou falta de coragem e mesmo por timidez não consigo saber pormenores, só sei quais os órgãos que a afetam. Também não pesquisei nada na net sobre o que era o cancro detalhadamente. Na consulta gravei a conversa e agora custa-me tanto voltar a ouvir o áudio, só me massacro. Estava mesmo esperançado que os marcadores tumorais diminuíssem, tenho medo que um dia o médico diga que não existe mais nada a fazer. Mais uma vez estive sempre calado, não consegui encontrar conteúdo útil para intervir, muito menos animar a minha mãe, sou um zero. Recentemente ouvi uma história no serviço de oncologia que deixou a minha mãe desanimada, uma mulher muito simpática que até nos ajudou, nesse dia descobriu que infelizmente o pai já não ia fazer mais tratamentos, está condenado.
Estou bastante preocupado com o meu pai. Pessoa habituada a trabalhar no campo, estar fora de casa desde o nascer do sol até à noite tem que nestes dias repousar, não pode fazer esforços enquanto não for operado a uma pedra que tem na bexiga. Um dia abusou e foi parar às urgências. Está a ficar deprimido por estar sempre em casa, no outro dia até me ligou a desabafar a tristeza, não é hábito dele, até costuma ter bom astral, fiquei mesmo preocupado. Tenho receio que um dia faça alguma loucura, também tenho esse medo com a minha mãe, no outro dia andava a dizer "o que ando aqui a fazer, mais vale ir embora de vez". Para completar os problemas dos meus familiares mais chegados, a minha avó também anda cheia de dores no pescoço, o que faz com que dificulte os trabalhos domésticos, tenho tanta pena de não a conseguir ajudar mais.
Finalmente recebi algum dinheiro da empresa, o meu patrão está entusiasmado para ultrapassar a crise. Quanto a mim sou bipolar nesse assunto, existem dias que me sinto motivado e esperançado que as coisas podem mudar para melhor, gosto do trabalho, noutros dias acho que não existe nada a fazer e só estamos a evitar o inevitável, sendo o trabalho uma seca. No global isto tanto pode correr bem e até ganhar mais dinheiro ou pode correr pessimamente e ficar na merda, é um investimento que tem um risco muito elevado e eu que gosto pouco de arriscar, mas aqui não está pendente(devia) de mim.
Uma mulher que em trabalho foi ao escritório, foi abordada pelo meu colega de forma natural, mandou umas bocas na brincadeira e para meu espanto ela foi na onda, disposta a sair com ele mais tarde. Mais uma vez fiquei impressionado, como gostaria de ter o à vontade dele.
O Inverno tem sido demasiado frio, seco, sempre sol, faz com que o tempo arrefeça. Mais uma vez estou numa rotina idiota. Nos dias de trabalho chego a casa pouco depois das 18, a seguir ligo o meu velho pc para ouvir as minhas musicas que tenho gravado no disco, faço a minha contabilidade, atualizo as minhas folhas de excel, aponto tudo, até o café que tomo depois da hora de almoço. Entre as 19 e 21, ligo o portátil à tv, vou buscar o comando da xbox para jogar, neste momento jogo Fifa 2017 ou Doom 4. A seguir vou jantar, enquanto isso aproveitando a oferta de 3 meses do nplay vejo séries, neste momento estou a acompanhar "Agents of Shield". Passo o resto do tempo na net até às 23.Depois vou para a cama onde ligo a tv e vejo até me dar sono. A "NOS" também me ofereceu durante 3 meses o pack com os canais Playboy e Vénus, pela primeira vez tenho acesso a canais pornográficos, não consigo deixar de comparar o tamanho do pénis, o tempo de ereção, a quantidade de esperma ejaculado... sexualmente sou mesmo um nabo.
Gostava de ter alguém com que pudesse desabar estes assuntos, em vez de estar a escrever num blog.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Que Preguiça! Mais um convivio falhado

Apetece-me estar sempre na cama, custa-me muito levantar, estou cada vez mais preguiçoso. Não me apetece ir trabalhar, mas o que vou ficar a fazer em casa? Antigamente adorava ficar em casa e arranjava sempre algum entretenimento, agora não tenho deias para passar o tempo.  Que futuro esperar com esta personalidade? Mais um convívio, um almoço em que participei e que não soube estar, não sabia o que falar, olhei em redor e observei as pessoas a partilharem as suas histórias, esta falta de interação não me faz evoluir. O que elas pensam por estar sempre calado? Que impressão tão negativa que devo causar! No final muitos trocaram contactos, eu mais uma vez não fiquei com nenhum para o futuro. Gostava de conhecer duas ou três pessoas daquele grupo mais em pormenor. Fiquei fascinado por uma jovem também ela bastante calada, fui incapaz de meter conversa com ela para a conhecer melhor, será que também tem problemas de timidez? Outra mulher me encantou pelo facto de estar sempre a mandar piadas, conversadora, uma pessoa bastante bem humorada. Tão diferentes, incapaz de me abrir. Volto para casa e oiço as minhas lamurias de sempre. Ando tão irritado, nunca pensei um dia viver este pesadelo que é criado pela minha triste mente. Devia ser tão mais feliz.