domingo, 14 de janeiro de 2018

Urgências, Frio, Controlo Vida

2018 começou da pior maneira a nível de saúde. Deu-me uma dor forte no peito, na zona do coração e fiquei logo a pensar o pior. Fui de imediato às urgências e depois de fazer os exames não me foi diagnosticado nada de grave, o coração e pulmões estão bem, detetaram que tinha sinusite, talvez seja isso que me esteja a provocar as constantes dores de cabeça. Deram-me a medicação e lá ando a tomar essas drogas, mas até hoje ainda me sinto combalido e a dor no peito ainda não passou totalmente, quando me dá vontade tossir é terrível. Deram-me uma injecção na nádega, fiquei preocupado pois já ouvi dizer que perdemos 3 anos de vida em cada uma que levamos, nonsense. Fiquei excitado por mostrar o rabo em "público", a privacidade era pouca, era uma sala de tratamentos onde estavam sempre a entrar enfermeiras e outros doentes. Por acaso foi um enfermeiro do sexo masculino e também não fui apanhado enquanto tinhas as calças para baixo, confesso que fiquei desiludido, o CFNM sempre foi uma das minhas fantasias. Fui ler o que escrevi sobre o assunto num post que fiz em 2013, fiquei surpreendido com o nível de detalhe que dei, talvez pensasse que nunca ninguém fosse ler, agora não o fazia.
O frio está a matar-me quem me dera ir para o Brasil ou outra região mais quente nesta altura do ano. A temperatura da casa ronda os 8 ou 9 graus, é muito baixa, ainda por cima não tenho aquecimento. O quarto só uso para dormir e mesmo com pijamas polares e 3 cobertores continuo a tremer com frio na cama. As últimos noites tem sido agitadas, acordo com o lençol na mão, cama desfeita, mesmo prendendo bem debaixo do colchão, até tenho chegado tarde ao trabalho por causa disso (compenso no final do dia). Na sala tenho um pequeno aquecedor e uma manta, é aqui que passo algum tempo a ver televisão ou jogar vídeo jogos. O resto do tempo passo na cozinha, (única divisão da casa quente devido ao fogão da lenha) no computador a fazer inutilidades como ver vídeos de humor ou de youtubers, a última moda é vê-los jogar GTA V modo roleplay.
Na cozinha lá tento aprender a fazer alguma coisa, mas o meu cérebro parece que recusa a reter informação... já fiz aquele prato algumas vezes, mas quando começo é como se fosse uma novidade... não entendo como tenho memória tão fraca, é como se fosse outra pessoa a ter vivido aquele acontecimento.Tenho que aprender a mexer em todos os eletrodomésticos, como máquina de lavar roupa ou loiça, mas dá-me a sensação que se recusam a ensinar só porque querem ser úteis, podia aprender sozinho mas tenho medo não sei de quê. Mais um exemplo da minha inabilidade nos serviços de casa: No outro dia partiu-se um suporte de um varão no armário. Fui comprar um e tentei colocá-lo, como não sei abrir furos com o berbequim para colocar os parafusos decidi usar pregos, claro que esteticamente ficou uma porcaria... passado uma semana voltou a cair!
Saber inglês é muito importante. Percebo a maioria do que falam e escrevem... mas quando sou eu a escrever ou a falar as coisas já mudam de figura, tenho imensas dificuldades. É mais uma limitação desta minha personalidade, se nem sequer sei falar português sem me atrapalhar como vou fazê-lo em inglês?
Quando é que tento controlar a minha vida? Ela continua a ser ditada pelos outros, sinto que não decido nada, não reajo, fico sempre na expectativa. Não elaboro planos futuros, por causa desta inercia em que a minha mente está inserida. O que me falta para subir para outro patamar e evitar este sofrimento?

sábado, 30 de dezembro de 2017

Jantar de Natal; Natal; Balanço 2017

Jantar de Natal da empresa...obviamente é sempre um pavor para mim. Estava a correr normalmente, metido no meu canto, ouvir os outros a falar sobre assuntos que para mim eram desinteressantes, apenas confirmava a minha falta de vida, participava raramente quando o tema era sobre futebol. Tentava rir com as piadas sem graças que contavam, talvez uma forma de me tentar integrar no grupo. O pessoal já está habituado à minha personalidade, nem ligam muito o meu silêncio, no entanto o funcionário que entrou recentemente deu conta de algo de errado comigo e interveio, deixando-me embaraçado. "Então estás sempre calado?", perguntou aos outros se era assim. Sei que não é por maldade, uma tentativa para me fazer abrir, mas a partir daí fiquei triste. Fiquei com isto na memória, o sentimento de tristeza não me largou mais nos dias seguintes.
Na véspera de Natal constipei-me tal como o ano passado, já começa a ser um clássico, culpo-me porque fui apanhar tanjas sem a proteção adequada ao pescoço, num dia de que estava vento frio. Para piorar no dia 24, deu-me uma dor de dentes que subiu para o olho e depois para a cabeça e só passou já no dia 26, os ben u ron's e os brufens a mim não me fazem efeito, parece que são água. Um dos meus dias preferidos estragado, não consegui estar a 100% para ver os miúdos abrir os presentes e depois jogar com eles para relembrar os meus tempos de criança. Fartam-se depressa, a quantidade é abundante... no meu tempo um dos maiores entretenimentos era um tapete em formato campo de futebol, sentava-me como os chineses (longe de imaginar que essa posição é terrível para a saúde), pegava nos bonecos dos bolos de aniversários, usava um berlinde como bola e simulava jogos de futebol, muitas tardes seguidas, enquanto a minha família assistia a novelas Venezuelanas e assim passava o tempo livre... e não era infeliz.

Breve Balanço do ano:

A nível financeiro deve ter sido o melhor ano para mim, a empresa teve muito trabalho consegui reaver algumas dividas, recebi todos os meses sem falhas (o que não é normal) e tive direito a um subsidio e a um valor de um seguro, um familiar chegado também recebeu uma avultada indeminização. Infelizmente no emprego a situação parece que está a ficar mais negra novamente, a falta de trabalho paira no ar e consequentemente coloca em causa a saúde financeira da empresa. Lá fiz um investimento em moedas digitais, não queria que daqui a uns tempos valessem muito mais e ficava novamente angustiado, é claro que a partir daí foi sempre a descer e já estou arrependido e angustiado 😒.
A última semana do ano é complicada, queria meter o trabalho todo em dia, mas aparece sempre alguma coisa a atrapalhar, os meus colegas não ajudam, dificultam, parece que andam a gozar, sei que é apenas a personalidade deles a atrapalhar tal como a minha de maneiras diferentes, o meu patrão não entende porque não lhe consigo explicar... "só estás cá por que confio em ti", mas com um ar de ameaça, denunciando a minha incompetência e revelando que pode estar desconfiado de andar a desviar dinheiro. Posso ter muitos defeitos, mas honestidade não é um deles, é um ultraje, se tivesse outras opções tinha batido a porta.
A nível de saúde acho que foi melhor que o ano passado, não me constipei no Verão, não tive que tomar antibióticos. Atualmente estou com uma tosse terrível, faz já uma semana, não me lembro de ter nada assim, noites em claro, necessidade de estar sempre a cuspir. Não sei como aliviar os pulmões, o meu colega disse-me várias técnicas mas não compreendi. As dores de cabeça é que dão cabo de mim! A minha mãe melhorou a nível de humor, nos últimos meses o cancro não aumentou. Subscrevi um seguro de saúde, sei que vou ter prejuízo mas ao menos que aproveite.
A nível de relacionamentos foi uma ano normal para mim, ou seja nulo. Cada um tem aquilo que merece, não me posso queixar, se não faço nada nesse campo para melhorar, arriscar, como é que que quero tirar proveitos?
As paranoias aumentaram, gerei novas, a confiança diminuiu, a alegria desapareceu de vez. Existem alguns dias que estou melhor, mas na maioria estou péssimo.
No cômputo geral em relação ao ano passado até foi melhor mas pk raio estou tão infeliz? Que inferno é este em que estou enfiado sem qualquer razão?

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Bitcoin; Avançar Assuntos; Stress Comunidade; Plano de Saúde

Um exemplo do azar e da falta de coragem que tenho.  Há uns meses resolvi investir em bitcoin,  como desconfiado que sou(provavelmente é mais seguro do que o meu empréstimo obrigacionista  ao FCP) adquiri um valor baixo tendo em conta o dinheiro que tenho parado no banco. Todo os foruns falavam do assunto, sabia que ia valorizar quando mais gente tivesse conhecimento. Entrei já tardiamente pois já sabia disto há muito tempo, quando comprei, a moeda valia um pouco mais de três mil euros. Desde que comprei a moeda desceu lentamente, isto durante cerca de dois meses, pensei que já era tarde para ganhar algum, que tinha comprado na hora errada. Resolvi vender quando subiu a um valor superior ao que tinha comprado, esperava que descesse para comprar novamente ganhando assim algum nessas flutuações. Desde aí não parou de subir, agora já vai em mais de 14 mil euros, podia ter quintuplicado o investimento! No fundo não perdi nada, mas sinto-me como se tivesse tido um prejuízo de milhares. Ainda vou a tempo? Será que vai  aumentar ainda? Sei que este ramo das moedas digitais ainda está no inicio... chamo-lhe azar, mas sei que não tem nada a ver com a falta de sorte e sim por causa desta personalidade impaciente e cobarde que me fez perder uma grande oportunidade de fazer bom dinheiro extra, fico angustiado só de pensar. Queria tanto mostrar a certas pessoas que sou uma mais valia.
Quando estou a pensar num assunto não consigo concentrar-me em mais nada, não avanço para o próximo. Devia conseguir abstrair-me pensando noutros ou fazendo actividades diferentes, é como se estivesse a cometer algo ilegal tal o "peso" que fica em cima dos meus ombros. Já comprei todas as prendas de Natal, enquanto não o fiz não descansei, esta minha maneira de ser prejudica-me em tudo. Estou outra vez revoltado por um stress que tive numa comunidade, não gostei de ler o que um utilizador escreveu, uma opinião diferente, mas não me sai da cabeça, não percebo porque fico tão irritado por alguém tão irrelevante na minha vida, acho que vou ter de deixar de ir a esse tipo de foruns, umas das poucas interacções com pessoas que tenho.
Outro assunto que tenho que resolver e que me está a deixar ansioso é a adesão a um plano de saúde, os dentes e os olhos são sempre uma preocupação para mim, devido aos problemas que tenho. Ultimamente tem me caído pequenos pedaços de dentes, enfiando-se comida nos espaços criados, de vez em quando é difícil a sua remoção, já tenho evitado comer algumas peças de frutas. Perco tanto tempo com porcarias e não o faço com assuntos sérios, tenho medo de quê afinal?
Ando me a "apaixonar" muito por actrizes, tenho invejo das relações que vejo nos filmes. Não posso fugir de as ver, até os filmes de acção têm histórias de amor. Pesquiso pelo nome delas, admiro a beleza, sonho com uma realidade impossível.
Este fim-de-semana, de madrugada ouvi muito baralho na minha rua que habitualmente é calma, pessoal a divertir-se... nunca fui capaz de sair da minha "prisão". Mesmo que pense em sair, ir para onde?

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Personalidade Limitadora; LinkedIn; Reuniões; Traumas Colegas Antigos; Critério de Seleção Confiança, Aniversário Pai

Esta minha personalidade é muito limitadora, por causa dela muitas oportunidades se fecham, por exemplo não me imagino a fazer apresentações com pessoas a assistir o que me faz desistir de possíveis projectos, nem sequer pensar neles. Bastantes ideias que ficam condenadas logo à nascença. Cada vez mais as pessoas usam a tecnologia para comunicar, uma ferramenta importante para encontrar contactos e abrir novas possibilidades, mas também não usufruo pela timidez. Tive a pensar criar um perfil no LinkedIn, mas rapidamente desisti... 😠
Actualmente mais uma coisa positiva para mim, é terem acabado com reuniões da empresa, com o decréscimo acentuado de pessoas a trabalharem já não se justifica. Só de ouvir essa palavra "Reuniões" fico angustiado, no meu dicionário significa tortura. Umas quinze pessoas na mesma sala com mesa redonda a debater, quando tinha que intervir bloqueava de tão embaraçado que estava. Não consigo falar, passo atestado de burrice, até posso ter razão mas perco-a logo por não conseguir defendê-la. Aquelas 2 horas é como se demorassem 2 dias, a sensação de alivio e contentamento é imenso quando finalmente ficava sozinho (escrevi verbos no passado e presente propositadamente). Só de pensar nisso fico todo arrepiado, tenho medo que no futuro tenha que as defrontar novamente. Sempre foi assim, quando andava na escola, detestava ir para a frente do quadro, perante os meus colegas, acontecia-me exactamente o mesmo, evolução desde aí 0.
Passado uns 20 anos, ainda continuo com medo de certos colegas que convivi de perto ou de longe. Fiquei com traumas tão grandes, que quando penso neles fico assustado e espero nunca os encontrar no futuro. Sempre fui uma pessoa fraca, no entanto pertencia a um grupo de amigos e nunca tive grandes problemas com bullying. O problema é que como frouxo que sou ficava muito afectado com os comentários que faziam ou quando me gozavam. O meu melhor amigo na altura, era muito mais gozado e não se importava, bola para a frente, mas eu não sou assim infelizmente. Alguns Exemplos: Tinha um colega que era daqueles que estava sempre a gozar com todos. Desde novo que ele tinha os genitais muito desenvolvidos, ao contrários dos meus, gozava sempre com isso e contou para as meninas que os tinha pequenos. Quando chegava ao grupo lá estava ele a perguntar «já tocas ao bicho?» ou merdas desse género, nunca sabia o que responder, ficava envergonhado.  Uma vez um gajo deu-me um cartolo tão forte que fiquei com uma dor de cabeça forte e com vontade de vomitar, a partir daí cada vez que via esse personagem fugia a sete pés. Fugia doutro gajo com o qual nunca troquei uma palavra (nem deve saber que existo), pelo simples facto de saber que fumava, andar com facas ou por bater nos outros, etc.
Qual é o meu critério de selecção de confiança? Quando estou com uma pessoa nova, não sei qual o critério que o meu subconsciente usa para filtrar aquelas que me transmitem confiança. O facto é que com algumas consigo falar à vontade, com outras não consigo abrir a boca. No outro dia fiquei espantado por ter estado à vontade com um possível fornecedor a falar de trivialidades
Para comemorar o aniversário do meu pai fui almoçar com ele. Estava com estado de humor terrível, mas depois de ter almoçado e passear até às terras dele, fiquei melhor e arrependido de não o fazer mais vezes. Por que não o faço? 😖

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Actividas Solitárias, Trabalho, Famila...

O tempo passa e não consigo mudar, qualquer dia tenho que mudar o nome do blog para timidez aos 40 anos. As minhas actividades solitárias estão cada vez maiores, fico muito tempo sozinho, não gosto de ter pessoas à minha volta, não consigo arriscar e sair da zona de conforto, expor-me a situações para evoluir, nem procurar ajuda médica, sou um cobarde. A ansiedade, tristeza, falta de confiança e a consciência pesada continuam a ser parte integrante do meu dia a dia. Sou prisioneiro da minha mente, tenho medo de ser uma pessoa básica e sem conteúdo, tenho dificuldades em desenvolver em qualquer assunto... até aqui tenho problemas em explicar. Farto de viver a minha vida num raio de 30km's, queria ir para longe, viajar, conhecer novas paisagens! Ultimamente ando novamente com pensamentos e paranoias estúpidas. Por exemplo estou a assistir um filme ou uma série e tenho receio de não entender a história, parece que não absorvo os conteúdos dos diálogos...antigamente não era assim, estou cada vez pior a gerar problemas que só o meu cérebro os tem. Devia mudar o meu tipo de leitura, procurar algo mais rico intelectualmente, em vez de ler essas histórias de aventura, drama ou romances que no fundo só me fazem deprimir por não vivê-las. Procurar mais documentários em vez de reality shows, quando era criança estranhamente até gostava, agora que sou adulto não aprecio, tenho medo de não perceber mais de metade, sou ao contrário das pessoas normais. Porque me custa tanto deixar estas actividades "no life"? Devia procurar algo em que pudesse conviver mais, tipo frequentar um ginásio ou um clube de natação, sei bem o que fazer mas falta-me coragem. Passo muito tempo a imaginar situações que nunca vou passar, ontem deitado na espreguiçadeira imaginei-me com uma mulher a fazer-me uma massagem e depois trocar carinhos, continuo sempre com necessidade de inventar histórias para não cair em tédio. Até quando fui serrar os ramos da laranjeira imaginei-me uma personagem de uma série onde estava numa missão...ridículo. Estas personagens acompanham-me durante o dia, às vezes até no trabalho, imagino estar sempre com alguém, criar diálogos que me ajudam a raciocinar, sei que não é correcto.
No trabalho as coisas como sempre estão complicadas ou se calhar não, eu é que vejo sempre tudo complicado, qualquer acção me faz pensar que vou ser despedido. Gostava de um dia ir para o emprego sabendo que está tudo bem e que não corremos o risco de encerrar. A crise já dura à mais de 10 anos, é verdade que até agora conseguimos sobreviver mas até quando? Neste tempo já fiquei sem receber durante vários meses, emprestei inclusive dinheiro do meu bolso, fui para o desemprego e continuei a trabalhar sem vencimento. Nenhuma pessoa normal fazia isso, só eu, porque não tenho mais opções devido a esta personalidade. Não consigo imaginar-me sem este trabalho, o que faria para passar o tempo? 
Tirando a minha mãe e avó sinto que estou cada vez mais longe dos meus familiares. Passam-se semanas sem ver os meus primos, antigamente iam muitas vezes a minha casa almoçar, mas vicissitudes da vida fizeram com que isso deixasse de suceder, tenho saudades dos pequenos. Já não falo com o meu pai à dias, não atende o telefone, provavelmente anda muito atarefado na colheita da azeitona. Os meus tios emigrados normalmente telefonam no domingo, procuro não ouvir/falar com eles porque o tom de voz é sempre critico o que me deixa em baixo.
Novamente passei uma situação sobre um assunto pouco importante, que me deixou nervoso, irritado, sem dormir, só pelo facto de não ter conseguido defender o meu lado. Não percebo porque ligo tanto às opiniões dos outros de tal maneira que me tenha perturbado a minha vida daquela forma.
Resolvi  mais uma vez poupar dinheiro em vez de investir numa compra que me era util, não sei porque o faço, deixa-me angustiado.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Problemas trabalho; Sonhos; Incêndios

Ultimamente tenho passado por bastantes problemas por causa das minhas dificuldades de interacção, várias situações que me surgem em que passo um atestado de incompetência, na hora não sei explicar e duvido que tenho razão, depois quando estou sozinho vejo que normalmente estou certo. O meu colega está cada vez mais indisciplinado, não o consigo controlar e depois ainda mete as culpas em mim. É um tipo porreiro, mas é muito desorganizado e isso faz com que gere problemas sem necessidade, perde muito tempo em assuntos sem importância. Estou sempre dependente dele, quando deixa o trabalho em atraso o meu também fica, sinto-me responsável porque podia ajudar mais se percebesse alguma coisa e também não tenho coragem de alertar o chefe. Faço uma recapitulação do que está errado e está tudo mal em todas as áreas, deixa-me sem forças para lutar e desmotivado. Finalmente está resolvido uns problemas que tive, estar na ilegalidade deixava-me completamente desnorteado, agora estou totalmente legal, mas a sensação não mudou muito,  sinto que tenho mais responsabilidades. Guardo tudo para mim, devia ter alguém com quem falar para deitar tudo cá para fora, esta raiva acumulada deixa-me desorientado.Os meus problemas não são nada comparados com a maioria das outras pessoas, deixa-me revoltado sofrer pelo motivo ser o meu "cérebro".
Chega a certa altura que penso: Mas afinal vou para o emprego ganhar dinheiro para quê? Se não tenho família para sustentar, não tenho capacidade para ter amigos e engates...o melhor é ficar sempre em casa, assim não tenho que enfrentar os desafios terríveis que é todos os dias sair de casa e relacionar-me com as pessoas, aquilo que sou fraco. Não posso pensar assim nestas atitudes negativas, ficar sempre em casa seria provavelmente um desenvolvimento para aumentar a minha doença. Os sonhos que tenho são o reflexo do dia a dia, dos meus medos, muitas vezes me chamam de incompetente, inútil, é raro ter um sonho bom, mas no outro dia aconteceu. Sonhei que me tinha relacionado com um mulher jeitosa, quando acordei só queria voltar para o sonho novamente, foi uma sensação fantástica que gostaria de repetir mais vezes. Será que o meu inconsciente tem problemas de dialogar?  Gosto de ver séries, filmes e até novelas românticas, gosto de acompanhar o desenvolvimento das relações e imaginar-me no lugar dos personagens.
Mais uma vez apetece-me fugir da rotina, penso em acções sem grande importância que me limitam. Na próxima quarta-feira vou fazer algo de diferente, estou ansioso por esse dia... ansiedade domina a minha vida em todos os seus capítulos.
No outro dia tive uma festa de aniversário infantil em que o tempo passou muito rápido, gostava de ter esta sensação mais vezes, em vez de só ter para aí uma vez por ano. Ver as crianças a jogarem, ingénuas, brinquei com elas, sem saberem do meu problema de timidez.
A nossa zona foi afectada pelos incêndios. Foi uma noite desesperante, a casa do meu pai fica junto a matas, vi na tv que havia desaparecidos no local, as comunicações falharam não o conseguia contactá-lo, fiquei logo aflito, pensei logo no pior e nas consequências, não estou preparado. Só no dia a seguir é que falei com ele e verifiquei que estava tudo bem, apesar dos terrenos terem dele ardido.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Feriado Perfeito; Aniversário Prima; Retrospectiva

Feriado "perfeito"... dormir quase até ao meio-dia, ouvir musica, almoço, depois jogar, ir apanhar sol enquanto lia um livro, masturbar, brincar com o cão, jantar, ver um filme, o peso desse dia esteve inexplicavelmente elevado. Adorei jogar aquela missão, os capítulos do livro que li foram muito bons, mas pk raio estou com esta consciência pesada? Até ganhei as apostas que fiz! Porque não consigo gastar o dinheiro que ganho em coisas para mim, porque o poupo em vez de gozar? Arrependo-me de nada ter feito durante a minha juventude e continuo assim, este espírito de tristeza não me larga e não me permite pensar em diversão, principalmente quando incluiu outras pessoas.
No final do dia, depois do trabalho fui a casa de uns familiares dar uma prenda a uma primita que fazia anos, encontrei uma casa acolhedora, um ambiente de aconchego que me fez sentir ciumes e desejar um dia ter um igual, mas sei que por causa desta minha personalidade nunca o conseguirei. O miúdo a colar cromos juntamente com o pai na caderneta de futebol, a pequena a estudar os seus primeiros textos... estes pormenores...isto é que é viver e ser feliz. Essa minha prima até era uma pessoa tímida,  desconfio que também tenha passado por episódios de depressão, aos 30 ainda não tinha emprego depois de ter passado vários anos na universidade com dificuldade em acabar o curso, não tinha nenhuma relação amorosa, de um momento para outro desabrochou e tudo mudou. Arranjou um bom emprego, casou-se, teve filhos, aquela pessoa envergonhada que não falava mais que 5 palavras, agora é o centro de todas as conversas, se ela conseguiu porque me parece impossível para mim fazer o mesmo? Até devia ser um exemplo para mim! A moradia não é muito grande como a minha, mas é muito confortável, um quintal onde as crianças podem brincar descansadas, as divisões muito bem mobiladas, quartos a condizer com os ocupantes. Por causa de umas obras tenho que ficar com o cão deles, brinco bastante com ele no final do dia quando chego stressado do trabalho, vou ter saudades quando for embora. É mesmo brincalhão, nunca pensei que um animal me desse tanta alegria, na empresa estou habituado a vê-los infelizes.
Mais uma noite sem dormir nada por causa de um assunto inútil, fico cansado no trabalho, as horas não passam, não me apetece fazer nada! O clima está muito quente para a época, continuo a usar calções, sandálias, não usar meias, ir de mota para o trabalho. Agora estou com a paranóia de me constipar, pelo menos não quero que aconteça este mês, enquanto os dias são maiores.
No final do dia faço uma retrospectiva do mesmo e imagino que estou a contar os episódios vividos a alguém, quando o queria realmente era ter alguém em carne e osso para falar, fora do ambiente familiar e profissional. De vez em quando escrevo em foruns, mas não é o suficiente.
Continuo com dores no joelho, estou à espera que isto passe com o tempo, mas vou ter mesmo que consultar um médico. Um dos meus hobbies está a prejudicar-me na saúde, a poeira é imensa e agora estou aflito dos pulmões, será que vou ter que desistir de um dos meus passatempos preferidos para passar o tempo?
Devia passar mais tempo com o meu pai, por exemplo ir lá passar uma tarde ao fim de semana. Às vezes chateia-me para ir buscar fruta, ora uvas, maças, etc, mas não me apetece lá ir, tenho medo das conversas dele, de ouvir as verdades, prefiro ficar o tempo livre em casa, mas sei que é uma atitude má.
No escritório estou cada vez mais descontente com o meu colega, o que me deixa desmotivado e sem apetite para trabalhar. Não faz nada daquilo que digo, não o consigo controlar, não digo nada ao chefe para não gerar conflitos.